O principal rio de São Roque precisa de limpeza urgente

Crescimento populacional, ruas asfaltadas, obras na rodovia Raposo Tavares, falta de manutenção em bueiros pelo centro da cidade e bairros e ainda com a falta de colaboração da própria população a situação tende a piorar. As ruas mais afastadas da região central, estão virando um lixão a céu aberto próximo aos rios. Tem de tudo: roupas, móveis, resto de construção, materiais de escritório, sacolas de lixo doméstico e por aí vai.

Fica claro e evidente que a natureza cada vez mais manifestará com força, pancadas de chuvas intensas, o que fatalmente será resultado de enchentes e destruição, o que não é palpite de pessimista e sim realista. A prefeitura limpou sim alguns curtíssimos metros dos rios Guaçú, Aracaí, Capoava, Taxaquara, etc, porém grande porcentagem do trajeto dos rios ainda está como o mostrado na imagem. Um exemplo foi no início de Janeiro, 12, quando em uma chuvinha de 35 minutos, não tão intensa, o rio Guaçu ficou a alguns centímetros de mais um transbordamento. Somente em 2019 foram 3 enchentes em localidades da cidade. Se não veio a prevenção até o momento, de onde virá o socorro?